sexta-feira, 11 de julho de 2014

Me conserte!

 Sempre que eu te vejo, sinto uma vontade imensa de te mostrar e te dizer de todos os jeitos possíveis que te amo profundamente. Eu já te expliquei muito sobre isso, mas é que não estou aguentando mais.
 Eu tento de todas as maneiras, e mesmo que você já tenha esse conhecimento sobre os meus infinitos sentimentos, eu sinto que não é muito e que não pode ser que o que eu sinto seja apenas isto.
 Você me faz tão bem, e demonstra tão bem o seu amor por mim que eu chego a sentir vergonha. Sim, vergonha dessa "miséria" que demonstro. E isso me dói bastante.
 E eu me desespero simplesmente porque tenho medo que essa situação te afaste de mim aos poucos. Toda a vez que te trato diferente (de uma maneira negativa) é apenas tentando te tratar com amor.
 E eu me cobro muito em te dar o melhor, em te dizer o melhor. Em te dar o melhor abrigo do mundo no meu coração. Apesar de não querer admitir que o que eu preciso é que você me dê seu abrigo e conserte essa bagunça em que me tornei.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Uma história que criei u.u

                          Aventura Amorosa

 John e seu tio moram juntos em um apartamento de Nova lorque, se mudaram depois que os pais de John morreram em um acidente de carro. John não conhecia nada na nova cidade que vivia, e para ele esta era uma verdadeira aventura. Seu tio o ia matricular em uma escola de lá.
 No seu primeiro dia de aula, todos o encarava por causa da sua ideologia e seu estilo punk, ele não tinha amigos, todos tinham medo dele por isso não queria se aproximar, mas no fundo, o coração ele era lindo de se ver, ele criava musicas e sonhava em um amor sincero e duradouro.
 Até que em meio á uma aula chata de leitura, sua professora os pediram para criar poemas ou citar algum já feito por algum escritor famoso. E ela começou logo com ele, que exitou um pouco antes de ler, e ele enfim escolheu um texto de William Shakespeare...
 Logo, quando começou a ler, escutou uma voz doce e bela de uma menina no fundo da sala, falando o texto junto contigo e ele sem reação parou de ler e assustado, saiu da sala correndo. No armário, ele encontrou uma carta, e lá estava escrito:

 "Por anos, procurei pelo amor da minha vida, alguém que me entendesse por meio de poesias. E finalmente, eu encontrei. Quer namorar comigo?"

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Guerra

 Venho aqui relatar que cravo uma guerra sem fim, uma guerra em que não sei se saio viva. A guerra do amor. Uma guerra que cravo entre eu e ele.
 Acho que estou perdendo esta guerra, aos poucos, mas estou. Estou em uma fase chamada desespero. Aonde quem dita as regras é ele, e quem entra em desespero sou eu.
 Eu entrei nesse jogo sem saber absolutamente como jogar, o que fazer e como sobreviver. E estou apenas perdendo, perdendo e perdendo...
 É uma guerra aonde parece que eu sempre chego ao fim, ou á beira dele. Mas sempre volto ao início de jogo já levando fé que não vou conseguir ganhar.
 E agora, estou aqui, perdi, outra vez. E estou apenas procurando o botão restart desse jogo, temendo nunca poder encontrá-lo novamente.
 Enfim, isso é só o que estou passando enrolado em uma máscara, claro que posso falar a verdade sobre os fatos, e claro que posso retirar essa máscara...

 (...) Mas se você é um bom leitor ou teve um amor como esses vai entender.